quinta-feira, 28 de junho de 2012

Ponte Sebastião Gomes Dantas - "A ponte da vaidade"


“Filho meu, são muitas as histórias que preciso contar... À medida que você me sugerir os assuntos, os temas, escreverei buscando relembrar os detalhes, as pessoas, os amigos e os traidores, as mentiras e as verdades que compõem a nossa história no Acre. 

“Você me perguntou sobre a ponte. Bem, a maquete dessa ponte já existia no hall da Universidade do Acre em Rio Branco, ali no centro. Então, a cidade inteira sabia da construção dessa ponte, mas alguns criticavam dizendo que era a ponte da vaidade. “Pra que outra ponte se já tinha uma?”, diziam. Mas era o sonho de Francisco construir essa ponte, porque a outra, por mais de uma vez, já ameaçara cair. Foi até uma equipe especializada para colocar nas bases, nos pilares dessa ponte vigas de sustentação para que ela não caísse. E o problema era tão sério que eu cheguei a ter pesadelo na época, eu acordava assustada, porque sonhava que no lugar dessa ponte não tinha nada, estava tudo escuro, sonhava que ela tinha caído, levada pela enchente do rio.

“Mas, um dia, com a nova ponte, já programada para ser construída, Francisco chegou em casa e me disse:
- Leila, tenho uma notícia desagradável para te dar... A ponte não vai sair!
- Que que é isso, Francisco, que conversa é essa dessa ponte não sair?
- Não vai sair, porque estou vindo de uma conversa agora com os secretários e eles disseram que não tem recurso para construir a ponte.
- Francisco, o problema é o seguinte: do jeito que as coisas estão, como essa ponte foi divulgada, sua construção, a maquete lá na Universidade, se essa ponte não sair, você estará desmoralizado, pode encerrar sua carreira política! Olha, Francisco, pode voltar lá nos secretários e falar para eles darem um jeito, uma solução, porque o dinheiro tem que aparecer! Eles estão lá não é para arranjar problema, mas solução! Os secretários têm que entender que eles precisam trabalhar juntos e não contra você. Volte lá e mande eles se virarem! Eles tem que achar a solução, eles não estão lá para jogar o problema e ficar por isso mesmo, não!

“Francisco voltou para a reunião e apertou aquele pessoal, que acabou mexendo daqui, mexendo dali até que saiu o dinheiro para essa ponte. O problema, meu filho, é que só Francisco foi para o Acre com vontade de ver o Estado se desenvolver. Queria, naquela época, veja bem, construir a saída para o Pacífico. O lema de Francisco era: “Plantar no Acre, Produzir no Acre e Exportar pelo Pacífico”! Se aquela turma tivesse ido com a mesma intenção de Francisco, o Acre teria explodido naquela ocasião.

“Assim saiu aquela ponte, construída pela Odebrecht, a ponte que recebeu o nome do pai de Francisco...

Leia também:  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...