terça-feira, 5 de novembro de 2013

Professor José Monir Nasser (anotações de aula por Andrea Jaques)


- O ser humano é herdeiro dos seus antepassados. 

- As grandes obras de arte são imperecíveis, permanentes, perenes... Todo mundo tem o direito às grandes obras, a ler Aristóteles, a ouvir Bach... etc

- Educação: só faz sentido se ensinar os melhores modelos. 

- Mitologia: não são narrativas para serem analisadas psicologicamente ou estruturalmente. A mitologia é um conjunto de chaves para se compreender a vida. Estudar mitologia é entender a ordem do mundo.

- É o mito que interpreta a gente, não é a gente que deve interpretá-lo. 

- É obrigatório dominar o velho para criar o novo. Qual o sentido de você contrapor o que você não sabe?

- Imaginário: tudo na vida começa com um conteúdo mítico - com histórias. Só isso é que permite a comunicação humana, que é imaginário compartilhado. 

- Amar seres humanos genericamente é só discurso. Quem ama toda a humanidade não ama ninguém.

- O homem faz coisas para o bem, julgando que são as melhores, mas tem a potência inata para o mal - que precisa ser coibida com alguma restrição (limite) à liberdade humana.

- O menor erro cometido no início repercute em tudo o que se segue. É isso que Aristóteles quer dizer com "O mal está na origem". 

- Vida: com relação ao mundo você precisa da associação de Espanto + Acolhimento. Essa é a única vida possível.

- A perda da capacidade de espanto, é o primeiro indício da perda da inteligência.

- Se você destruir o mistério da vida não será capaz de compreender e de se espantar. Seja capaz de acreditar na idéia de que tudo flutua num mar de mistérios. 

- O mundo é um mistério. Deus nos agasalha para vivermos neste mundo de modo confortável.

- O Cristianismo não tira o mistério do mundo e, ao mesmo tempo, te dá uma sensação de segurança.

- Cristianismo: é uma técnica que permite que seres paradoxais lidem com um mundo paradoxal.

- Nós modernos expulsamos os grandes mistérios das nossas vidas.

- A vida humana é uma tensão entre desejos e possibilidades. Você só se torna adulto quando percebe que há uma parte do mundo que resiste à você.

- Viver a tensão e aceitar os mistérios é abrir possibilidades múltiplas, é colocar a cabeça no mundo. A certeza, por meio da ciência e da racionalidade, tenta enfiar o mundo na cabeça.

- A pessoa normal põe a cabeça no mundo. O maluco põe o mundo na cabeça. A pessoa normal entende algumas coisas e reconhece que não entende outras (são mistérios). O maluco tem explicação para tudo, a partir de seus paradigmas (ex: marxista, freudiano, kantiano etc). Escolher uma teoria humana moderna para não conviver com os mistérios, é tentar reduzir o mundo a si próprio.

- Ciência: é o processo de obter certezas. Mas o conhecimento científico não é certo, é sempre questionado, derrubado e substituído por outro. As afirmações científicas são sempre afirmações em torno do devir.

- Há muito mais garantia de permanência no conhecimento gerado por um mito do que a afirmação de um homem que ganhou nobel em ciência.

- O cientista tem possibilidade de verdade, mas só o conhecimento metafísico produz afirmação da qual não se pode "escapar". Apenas as afirmações metafísicas são indiscutíveis.

- O máximo da sapiência humana é entender as causas primeiras (o porque todas as coisas existem). É o máximo que a alma intelectiva humana pode chegar. É da investigação das primeiras causas que nasce a possibilidade de saber todo o resto.

- A sabedoria está em quem sabe a causa, porque este é capaz de ensinar.

- Cultura: quando sua consciência é aumentada pela experiência externa da humanidade.

* Professor José Monir Nasser (1957 - 2013) - anotações de aula de Andrea Jaques (ad tempora).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...