domingo, 6 de novembro de 2016

Gloria Álvarez no Roda Viva - 1 ano depois


Alguns comentários que postei há 1 ano, enquanto assistia ao programa:

1 - Gloria Álvarez, uma libertária diferente. Embora na área moral Gloria Álvarez repita os discursos de todo libertário, deve chamar a nossa atenção que, quanto ao modus operandi, o Estado libertário dela vai numa direção um pouco diferente do radicalismo que encontramos em muitos libertários de facebook. Pelo menos nesta entrevista, ela aceita que o Estado assuma, ou melhor, "desassuma" paulatinamente áreas como educação e saúde, partindo para alternativas mais palatáveis a um povo acostumado a ser dependente do Estado. Ela chega a dizer que, depois de se reduzir o Estado, ele poderia voltar a crescer nas áreas que os cidadãos quisessem. Último ponto: a questão para ela não é mais esquerda e direita, mas república e populismo - muito bom! 

2 - Gloria Álvarez ontem no Roda Viva: "Inevitavelmente, os regimes socialistas sempre caem, porque chega um momento em que não há mais dinheiro alheio do qual roubar" rsrsrsrsrsrs

3 - Gloria Álvarez e o libertarianismo: 

Embora ruja, vez em quando, um libertário dentro de mim, mas ainda tenho meus "poréns e entretantos" com a bandeira libertária. Historicamente, como certa vez li num artigo do José Nivaldo Cordeiro, há no libertarianismo a presença da mesma mentalidade revolucionária que alimenta a esquerda. Todavia, como ocorre em todos esses movimentos - e o próprio conservadorismo é também um exemplo disso -, há muitos "libertarianismos". Por exemplo, o Ron Paul é contra o aborto, posição que vai na contramão de muitos libertários.

4 - Dinheiro nas mãos dos pais, para que esses escolham a Escola dos filhos. Não essa ditadura que obriga que nossos filhos tenham que se matricular nas únicas e sucateadas escolas públicas que nos são oferecidas: liberdade para a educação já! Perfeito, Glória Álvarez.

5 - A contradição do libertarianismo de Gloria Álvarez: ela repete aquela visão ingênua do libertário, que vê o ser humano como um anjo, mas, ao mesmo tempo, ela nega isso quando faz a comparação entre o político e o cidadão. Ela diz que devemos confiar mais no cidadão para que ele seja livre na tomada das suas escolhas (concordo que o Governo não possa entrar aí), mas ela justifica essa confiança, que devemos ter no cidadão, dizendo que confiamos no político e no que que deu? Ele rouba. "Vamos, então, confiar no cidadão", ela tenta enfiar esse argumentozinho chulo. Eu acho que, quando ela disse isso, ela percebeu que estava sendo contraditória. Ela chega a dar uma paradinha, como quem está pensando: "Ops, disse besteira"!

6 - rsrsrsrsrs Glória Álvarez me ensinou: o Brasil é a República da batata quente rsrsrsrsrsrsrs 

7 - Imigração, libertarianismo e Glória Álvarez: o libertário levanta as mesmas bandeiras na área moral que os esquerdistas, enquanto sua visão de Estado está muito mais próxima dos conservadores. Assim, já vi libertários que defendam a entrada avassaladora dos muçulmanos na Europa (embora, para mim, isso vá de encontro ao conceito libertário de proteção, segurança e propriedade privada que o Governo deve proporcionar ao cidadão). Além disso, os libertários não podem esquecer que o Governo é eleito pelo cidadão que tem todo o direito de proteger as fronteiras do seu país e querer identificar isso com xenofobia é covarde, injusto e irreal. Por outro lado, não sei o que a Glória Álvarez pensa sobre a imigração na Europa, pois o argumento dela para a integração e a livre imigração na América Latina é o de que somos culturalmente muito próximos. E aí, quanto a essa imigração, ou melhor, quanto a esse argumento dela, eu concordo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...